Santo Augusto Urgente! Anuncie onde seu cliente também vê!   I    Santo Ângelo sofre ação de fortes ventos com destelhamentos e derrubada de árvores   I    Desaparecido há 11 dias, caminhoneiro gaúcho é encontrado morto no Paraná   I    Mulher que morreu em acidente de trânsito na BR-386 estava grávida   I    Ônibus de excursão de Tenente portela se envolve em acidente em SC   I    Trovador de Bagé Gilmar Lima morre atingido por raio enquanto cavalgava no Uruguai
11 de janeiro de 2019

Menina de cinco anos escapou de chacina ao ser escondida em máquina de lavar

A chacina que fez quatro vítimas em Triunfo, na Região Metropolitana, na manhã de quarta-feira (9) poderia ter sido ainda mais trágica. Uma menina de cinco anos estava na casa quando o autor das facadas chegou. Às pressas, foi escondida pelos tios dentro de uma máquina de lavar. Depois de sair ilesa, viu os parentes sem vida. Para evitar um trauma maior, o pai dela, o pedreiro Tarcísio Ribeiro da Silva, 34 anos, preferiu não levá-la ao velório da mãe, da avó e dos tios. Deixou-a com parentes em Guaíba.

A despedida, que ocorreu no salão paroquial Santa Terezinha, em Triunfo, nesta quinta-feira (10), foi marcada por comoção e incredulidade. Ainda com dificuldades de acreditar na tragédia, viam, um a um, os caixões chegarem no local.
As vítimas — todas da mesma família — foram mortas a facadas. O principal suspeito de ter cometido o crime é um vizinho de 45 anos. Na chacina, Silva perdeu a mulher Valéria Pereira Borges, 28 anos, com quem era casado há 11 anos. A mãe dela, Mirian Ribeiro Pereira, 52 anos, e dois irmãos, Valquiria Pereira Borges, 30, e João Paulo Pereira Borges, 21, também foram atingidos pelos golpes.

Um dos filhos de Mirian, Vitor Manoel Pereira, chegou à casa minutos após a chacina e deparou-se com a cena. Silva, cunhado dele, estava trabalhando em uma obra em Arroio do Sal, no Litoral Norte, quando recebeu ligação de um familiar, que contou, sem detalhes, o que aconteceu. Era perto do meio-dia quando atendeu ao telefonema. No entanto, só soube da chacina ao chegar na residência, por volta das 15h. Os corpos ainda estavam no local.

Em meio a tragédia, descobriu que uma das vítimas ajudou a conter o autor das facadas, poupando a vida da filha de cinco anos. O cunhado dele, João Paulo, segurou a porta de um cômodo ao lado do irmão Luís Gabriel Pereira Borges, 19 anos. As facadas conseguiram atravessar o revestimento e acertaram o jovem de 21 anos, que morreu no local.

Homem avisou que iria “fazer limpa” na rua

Antes de esfaquear a família, o vizinho teria provocado. Segundo Luís Gabriel, o homem parou em frente à casa e abaixou as calças, mostrando os órgãos sexuais. Havia crianças na residência e o gesto do homem irritou os moradores, que passaram a discutir com ele. Momentos depois, o suspeito teria voltado para sua casa. Em seguida, teria saído com uma faca de açougue. As mulheres foram as primeiras a serem esfaqueadas, ainda do lado de fora da moradia. Luís Gabriel e João Paulo correram para tirar as duas crianças do pátio e trancaram a porta.

— Quando eu virei as costas ele estava esfaqueando todo mundo — conta Luís Gabriel.

O homem só parou quando outros vizinhos começaram a sair para a rua, assustados com a gritaria. Ao passar por uma mulher de 48 anos, que foi socorrer a família, apontou a faca e disse que ela seria a próxima vítima. Com medo de o homem voltar, ela, que pediu para não ser identificada, trancou-se em casa. O marido dela nem foi ao trabalho nesta quinta-feira. Há um ano, eles registraram ocorrência contra o vizinho devido a ameaças feitas por ele. Religioso, o suspeito costumava fazer a pregação com som alto, colocando as caixas de som na janela de casa. A cena se repetia todo o sábado.
— Ele não podia ver criança na rua ou carro estacionado na frente da casa dele que já começava a discutir — contou.

Segundo a vizinha, dias antes de cometer a chacina, ele ameaçava “fazer limpa” na rua, matando desafetos. A mulher conta que o suposto autor do crime teria forçado a família a sair de casa e ir para residência de parentes, em Cachoeirinha, também na Região Metropolitana.

Para o delegado Lúcio Melo, responsável pela investigação, a retirada de familiares do local indica que a possibilidade do crime ter sido premeditado. No final da manhã desta quinta, a polícia pediu a prisão do homem, mas ainda não há retorno da Justiça.

Fonte: GaúchaZH
Santo Augusto Urgente

Notícias Relacionadas

  • Sul Contas é alvo de ladrões na mad...

    18 de janeiro de 2019
  • Santo Ângelo sofre ação de fortes v...

    17 de janeiro de 2019
  • Desaparecido há 11 dias, caminhonei...

    17 de janeiro de 2019
  • Mulher que morreu em acidente de tr...

    17 de janeiro de 2019

NOTÍCIAS

PUBLICIDADES

NOTÍCIAS NO SEU E-MAIL

Cadastre-se para receber.

Entre em contato conosco



(55) 9 84034561 / (55) 9 96195305 Santo Augusto/RS / CEP: 98590-00
Copyright 2017 ® Santo Augusto Urgente - Todos os direitos reservados